22 de mar de 2011

Minimalismo

Yellow eyes!
Foto por Valentine Fonseca

Ele me lembra alguém, esses olhos rasgados que transformam-o quase em felino me lembram alguém que amei há bastante tempo - tanto tempo sem amar que nem bem lembro do gosto - mas esse olhar, esse olhar e esse jeito de andar - reparo agora que se levantou - manso desse jeito, andar de gato, como se já não bastassem o par de olhos rasgados. Furtivamente observo-o. Furtivamente desejo-o. Obssessivamente contemplo-o como quem contempla um quadro recém acabado, resquício de tinta amarela ainda fresca pingando do dedo. E no silêncio do meu olhar o amo, talvez por isso o amo, tanto seus olhos de gato, tanto seu andar macio, tanto a lembrança de alguém que amei - faz tanto tempo - o amo tão somente pela certeza de que nunca poderei tê-lo aos pedaços. Só quero os pedaços. O amor por inteiro - faz mesmo tanto tempo - já não me importa mais.

4 comentários:

Anônimo disse...

ôun, Jade, meu bebê haha, tem meu gênio, só que bruto.
"Só quero pedaços...já não me importa mais". Enfim,lembranças são pedaços, partes que a memória "protegeu" do tempo. No caso do amor...
Gostei gatita.

Alex Pitta disse...

Gatos me lembram a infeliz independencia do seu amar.

Anônimo disse...

Sem estresse Ny, Voce a usou de uma maneira maravilhosa! Obrigada por usar! =) Belissimo texto! =

Mariana Reis disse...

gostei do texto, gosto quando você escreve.
não pare, não pare (um mantra).
:]