23 de nov de 2011

Quintal

Conheci o amor no muro da casa da minha avó: era um menino baixinho, espinhento e de cabelo gorduroso. Não lembro o nome, mas de que importa? Talvez nem tivesse nome. Só tinha era uma vontade apertada contra a parede pintada de cal e um beijo com gosto de jambo roubado.
A saudade tem gosto de jambo roubado.

1 comentários:

thiê disse...

ele vem assim, cotidiano, e sai à francesa. Talvez signifique tanto precisamente por sua imprestabilidade de duração, brinquedos do tempo...