30 de abr de 2009

Virgens Suicídas II

ATENÇÃO: Um post pessoal mal escrito, cheio de lamentações e pouco senso crítico. Depois não digam que eu não avisei e digam: "Ahh Vanny, que merda de post é esse?". Se bem que, quase ninguém lê essa misera mermo. Foda-se.

Universidade Federal da Bahia, terça feira dia 28/04/09. O dia em que nós três, eu, Gabí e Pris, nos descobrimos no meio de uma crise existencial daquelas. Com direito a jogos de tarot e lidas em horóscopos cabalísticos. A propósito, lá tava dizendo que eu iria morrer num naufrágio. Certeza que de minhas lágrimas. Mimimi.
A fossa foi tamanha, que na quarta nenhuma das três foi á faculdade. O paí ó!


Hoje, quinta feira dia 30/04/09.

Cena 1: Fossa branda
Cenário: Bancos laterais da biblioteca

Gabí: - Tava lendo sobre quiromancia na internet ontem, e li que quem tem os dedos duros é mão-de-vaca. Eu sou mão-de-vaca! Meu lema é que tudo que é de graça é melhor.
Eu: - Mas é mesmo pô, um beijo é de graça, um pôr-do-sol é de graça...
Pris: - Que lindo isso!
Eu: - Serião, meu ideal de namoro é algo bem assim, andar de mãos dadas, dividir uma coxinha dormida num pequenique no parque, beijo com gosto de café mal passado...
Gabi: - Correr atrás do busu lotado...
Pris: - Hahaha, eu quero um namorado que eu possa arrotar na frente dele!
...
Eu, Gabi, Pris: - Precisamos de um namorado now!
Três, no caso.

Cena 2: Fossa média
Cenário: Aula de Técnicas de Pesquisa
Eu: - Velho, serião, preciso empolgar a minha vida right now. Ou arrumo um emprego, ou arranjo um namorado, ou caio nas drogas pesadas!
Gabí: - Em uma semana o emprego fica um saco.
Eu: - Certos namoros também...
Gabí: - Fato.
Eu e Gabi: - Vamos às drogas pesadas!
(Nessa hora Pris provavelmente estava fazendo algo autista, tipo olhando pro nada com aquele brilho no olho, e aquela expressão insana que só Pris consegue ter.)

Cena 3: Fossa master
Cenário: Caminho para o PafI
Gabí: - Vou ter que ir na casa da minha melhor amiga, ela veio de Curitiba só pra me ver!
Pris: - Super queria ir pra Curitiba!
Eu: - Eu queria era sair dessa merda.
Gabí: - Essa merda chamada UFBA?
Eu: - Essa merda chamada vida.
*Minuto de reflexão*
Pris: - Tamo na mó merda.
Gabí: - Ô, se tamo.... Já disse que a politécnica é um ótimo lugar pra se matar?
Eu: - Vamos morrer virgens é velho?
*Minuto de reflexão*
Eu: - Vei, vou perder o busu. Beijo!
Lê-se: Nem com reza braba! Caixão branco ficaria tom sobre tom com minha palidez, out demais.

Enfim, quem por acaso tiver um emprego pra nos arrumar, quiser se candidatar a namorado ou for traficante de drogas pesadas, favor entrar em contato comigo!

Vamos aos fatos:
- Eu nunca na minha vida fui depressiva, nem tive tendência suicída. Ás vezes é chato ser pisciana e absorver o astral das outras pessoas. Minha pré-depressão aumentou com o contato com outras pessoas em pré-depressão. Cris, cadê você hoje? :(
- E tenho que parar de desabafar pras pessoas, ninguém tem obrigação de escutar as minhas lamúrias, e meus problemas sem fundamento. Eu sou chata pra caralho!

6 comentários:

Fr_Ribeiro disse...

O nome disso é faculdade.
Me identifiquei com meus tempos de calouro conversando com meus colegas igualmente calouros.
Acabou que a gente adotou a palavra "desgraça" pra tudo na vida. Pq nossa vida era uma desgraça.
Enfim, hoje a gente ri falando desgraças :D
Beijo, bisca!

HBMS disse...

mimimimi .

Bruno Carvalho disse...

"- Vamos às drogas pesadas!"

Tirando o lado trágico, eu ri muito xD

Anavir disse...

Veelho!
eu amei deeemaaaaaais! hahaha
ri horrores lendo isso e imaginando voce, pris e gabi execuando TODAS essas falas! hahaha
quero o texto esculhambando a putchênha heein! huieheuihe beeijo!

Nana de SouZa disse...

Nossaaa...já tive crise coletiva assim regada de sorvete, chocolate, e tu que era estupidamente calórico.

Gostei daqui moçaaa...vou ficar =D

[tenho a impressão de que tivi no show de Marcelo, na concha...Não, não pense que sou uma psicopata que sabe de toda sua vida, rotina e blá blá blá...foi só um coment ;D]

Lucas disse...

Vannilse, procure o Psiquiatra mais próximo de você!!
Saudade!
beijos
ps: Não se mate da politécnica não, é muito pobre, vamos pensar em um lugar melhor!