1 de mai de 2009

Mistério do Planeta

E eu suspiro tendo você perto demais, num abraço só, coração seu, coração meu ritmados.E você olha pra mim e me diz coisas fúteis, que eu sempre finjo ouvir mas tô longe, longe, pensando no nós, pensando no tudo. E eu te abraço do nada, e você finge estranhar, mas eu sei que você tem esses mesmos medos que eu. Essa angústia enorme que me dá quando eu penso não te ter mais por perto, não te pôr mais no colo, não ouvir mais seu riso. E você parece que adivinha, você sempre adivinha, parece que mora mais em mim que eu. Você ri daquele jeito só seu, e me abraça mais forte, quase que pra me machucar, e me pede pra não ficar triste não meu bem, que você vai tá por aqui. Mas tem sombras passando pelo teu rosto também. Meu coração manteiga se desfaz todo todo, e eu olho pra você e penso se é isso que é amar. Se é o amor que eu tento negar, que eu tento fingir que não é, que não acontece. E meus olhos orvalham, uma lágrima desce serpenteando pela minha bochecha e encosta na tua, teu rosto bem rente ao meu. E já não me importa se eu te amo mesmo, e muito menos se você também. Compartilhar uma lágrima é quase dividir um coração.

2 comentários:

HBMS disse...

.-. às vzs eu acho que vc é um pedaço de mim o-o

Nana de SouZa disse...

Velho...fossa mode on agora,às 00:26 do dia 02 de maio....

Me fez lembrar tanto o menino do par de olhos que consegue me ler tão bem...

[Merda! ele ainda mexe comigo]