30 de jul de 2009

Passio


E falta ar. Sufoca, oprime o peito, lhe faz arfar - mas você nem liga. Você tá quase morrendo, e nem liga. Porque como diria Quintana, é tão bom morrer de amor e continuar vivendo!
O coração anda derretido que nem manteiga no pão quente, anda pulando mais que pipoca estourando e mais feliz que palhaço em estreia de circo. Você anda sorrindo sozinha feito uma abestalhada, as pessoas ao redor reparam e devem pensar, "meu deus, como ela é piradinha", mas eles não sabem da missa a metade. Não sabem o que passa no filme do seu pensamento, não sabem do formato da imagem que não desgruda da sua retina. E você anda saltitando, e você meio que dança no meio da rua, rodopiando entre os carros, brincando com as crianças, mexendo com os cachorros, dando bom dia boa tarde boa noite muito obrigado como vai o senhor? e a senhora? E as cores da cidade parecem mais vivas, as pessoas parecem mais felizes, os sorrisos mais largos, o verde dos sinais mais demorado. Você não sabe porque, mas você sabe.
Você sabe que pra sonhar não precisa tá dormindo. Não precisa nem deitar, nem mudar de posição. Você sabe que pra voar não precisa ter asas, nem comprar passagem de avião. E que pra enxergar alguma coisa, você não precisa necessariamente olhar com os seus olhos. Não precisa nem ver. Você sente, você sabe. Mas, falta o ar. Sufoca. E sabe do que mais? Você tá adorando.

3 comentários:

Angelo Augusto disse...

belíssimo texto!

TODOS À BORDO!
HTTP://OBARCOBEBADO.BLOGSPOT.COM

Há Típica disse...

hihihhihihhih
linda^^

Nana de SouZa disse...

Juro que te vi pulando que nem pipoca e ziguezagueando por aí!

*__*

E no mais, vc descobre que é muito boa essa sensação...
Cheiro